Entrevista

Um bancário na Setre

Postado dia: 09/01/2015 - 10:01

Funcionário do Bradesco, oriundo do extinto Baneb, e ex-presidente do Sindicato da Bahia, o bancário Álvaro Gomes acaba de assumir a Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte. O jornal O Bancário teve uma conversa com o novo secretário sobre projetos e desafios para os próximos anos.
 
O Bancário - Primeiro, gostaria que o senhor falasse um pouco sobre o novo desafio.
Álvaro Gomes: É um grande desafio e vamos nos dedicar de corpo e alma para exercer a nova tarefa da melhor forma possível. Vou me dedicar a desenvolver uma política de inclusão social e melhoria das condições de vida da população. 
 
O Bancário - Quais são seus projetos para a Setre?
AG: O objetivo é priorizar o esporte, a qualificação profissional e geração de emprego. Queremos oferecer emprego de qualidade. Não basta gerar postos de trabalho. Temos de ir além e ampliar o combate ao trabalho escravo e infantil. O fim do assédio moral também está lista. Tudo com interação com a sociedade e os trabalhadores.  
 
O Bancário - E como o senhor pretende continuar a gerar emprego formal no Estado diante do cenário de crise financeira na economia mundial que se arrasta desde 2008?
AG: É evidente que a crise tem impacto no país. A secretaria pode dar uma grande contribuição, mas é evidente que não é uma tarefa só da Setre. Nós podemos estimular em várias questões, como a economia solidária, as micro e pequenas empresas e com a atração de novos investimentos. Nossa expectativa é gerar emprego com sustentabilidade e estamos otimistas.  
 
O Bancário - Algum setor da economia baiana deve receber tratamento especial? 
AG: Estamos montando nossa equipe e esperamos terminar até o fim deste mês. Dessa forma, vamos buscar soluções e priorizar principalmente aqueles que mais necessitam. Uma das medidas para ajudar esses setores é a qualificação profissional.
 
O Bancário - E quais os programas de qualificação profissional terão prioridade?
AG: Temos a intermediação da mão de obra, o SineBahia. Através dele podem ser gerados milhares de emprego. O SineBahia faz a intermediação, seleciona as pessoas e direciona para as empresas. Se durante o processo de seleção for identificado que o candidato precisa de reforço em determinada área, será encaminhado para um curso de qualificação. 
 
O Bancário - Salvador carrega há anos o título de capital do desemprego. A cidade terá uma atenção especial da Setre? 
AG: Infelizmente a capital do Estado tem acumulado o título de desemprego, mesmo com as melhorias obtidas a partir do governo Wagner. Vamos continuar com esse desafio, porque a Setre vai ter uma ação transversal, que envolve outras secretarias e outros segmentos, para que a gente possa efetivamente gerar emprego e renda no nosso estado e na nossa capital.