Entrevista

A democracia em teste

Postado dia: 12/07/2019 - 09:18

Às vésperas de deixar a Sempre (Secretaria Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza) para assumir a SMS (Secretaria Municipal de Saúde), o secretário Léo Prates participou, no Sindicato dos Bancários da Bahia, no dia 4 passado, do debate Para onde vai a democracia?, que marcou a reinauguração do auditório José Mutti de Carvalho.

Vereador por dois mandatos, presidente da Câmara Municipal de Salvador no período 2017-2018, deputado estadual licenciado, o engenheiro elétrico Leonardo Silva Prates conversou com O Bancário. Em entrevista exclusiva, ele admite que o “sistema político passa por um teste”, mas acha que a democracia está assegurada.

 

O Bancário - Como você define o atual momento institucional e político brasileiro? Democracia? Estado de Exceção? Ditadura do Judiciário?

Léo Prates - Acredito que o nosso sistema político hoje passa por um teste, o que é absolutamente normal. Hoje, há sim um descrédito da população sobre os três poderes, mas acredito que o regime democrático está assegurado e os direitos dos cidadãos seguem preservados.

O Bancário - As denúncias do Intercept são suficientes para anular decisões da Lava Jato?

Léo Prates - Eu vejo como uma situação que deve ser acompanhada e julgada de acordo com o que diz a lei, independente de paixões e lados. Caso a Justiça entenda que houve desvio de conduta, os responsáveis devem ser penalizados e os equívocos devem ser corrigidos.

 

O Bancário - O Ministério Público saiu do controle?

Léo Prates - Penso que o Ministério Público não pode ser controlado já que sua principal função é defender os interesses da população. Há, inclusive, instâncias internas para avaliar eventuais excessos como o Conselho Nacional do Ministério Público.

 

O Bancário - Qual a avaliação que você faz do governo Bolsonaro?

Léo Prates - É um governo novo com ideias e ideologias diferentes do modelo anterior, e que até o momento ainda não se encontrou, por isso há uma grande expectativa. Me parece que as partes estão trabalhando para encontrar um entendimento, e torço para que bons resultados sejam alcançados, pois agora é hora de pensar acima de política e lutar em prol do bem estar da nossa população.

 

O Bancário - Como combinar soberania nacional com o “vende tudo” defendido pelo ministro da Economia, Paulo Guedes?

Léo Prates - Eu acredito que o próprio Guedes não irá "vender tudo", e torço que mesmo em uma linha liberal, diferente da minha, o governo encontre um equilíbrio entre o que deve seguir sob a administração governamental e o que deverá ser privatizado, para não ferir a soberania nacional.

 

O Bancário - Você é pré candidato a prefeito de Salvador?

Léo Prates - Eu sou um soldado que atua de acordo com o projeto do meu grupo político e do interesse do povo de Salvador . Se o grupo julgar que a melhor opção é disponibilizar o meu nome para o pleito e o povo concordar, estarei preparado para o desafio.