Artigo

O avanço do fascismo no Brasil

Postado dia: 03/09/2019 - 00:00

Álvaro Gomes*


O Bar Restaurante e Centro Cultural Al Janiah em São Paulo foi atacado com bombas, gás de pimenta e garrafas na madrugada de domingo dia 01/09/19, as 3:30 da manhã por um grupo de cinco pessoas. O Bar é um espaço democrático e foi construído por palestinos refugiados da guerra da Síria.  O ataque ocorreu quando músicos brasileiros e sul africanos se apresentavam.


Este é mais um episódio que mostra o avanço do fascismo no Brasil. Segundo a Revista Isto É, edição 2592 de 30/08/19, os grupos neonazistas vêm crescendo de forma assustadora. Com base em dados sistematizados pela antropóloga Adriana Dias, a estimativa de brasileiros simpatizantes do neofascismo atualmente é de 500 mil, em 2007 era 150 mil.


As ideias fascistas são espalhadas diariamente na internet por pessoas e por grupos. O ódio se espalha criando um terreno fértil para a desagregação social. 


A situação se agrava no momento em que, quem comanda o estado brasileiro estimula a todo tempo o extermínio de pessoas, comemora a morte daqueles que não são considerados “cidadãos de bem”, debocha da morte de adversários como os procuradores da lava jato debocharam da morte dos familiares de Lula.


A agressão ao Centro Cultural Al Janiah, não é um fato isolado, o racismo, a misoginia, o preconceito, a discriminação e os assassinatos em áreas de populações pobres tem se intensificado a cada dia, estimulado por quem hoje está no palácio do planalto.


Em nota oficial, a direção do Bar afirma ,“ não podemos nos calar diante da motivação deste ato, num contexto de crescente discurso de intolerância e ódio que acomete este país. Desde o início, o Al Janiah sempre foi conhecido por ser um espaço democrático, de defesa das minorias políticas e acolhimento de refugiados”.


A luta pelos direitos humanos e pela paz é uma necessidade cotidiana de todos que buscam combater o fascismo e construir uma sociedade baseada na justiça social e na solidariedade.


* Álvaro Gomes é diretor do Sindicato dos Bancários da Bahia e presidente do IAPAZ