Artigo

Depois de tiros sobre pobres, tirano repousa em hotel de luxo

Postado dia: 07/05/2019 - 00:00

*Álvaro Gomes

Na tarde do dia 04/05/19, o governador do Rio de Janeiro Witzel, do PSC- Partido Social Cristão, sobrevoou a cidade de Angra dos Reis em um Helicóptero, de onde Snipers atiravam contra a população pobre sob o argumento de combater a bandidagem. Após esse atentado à democracia e aos direitos humanos ele e sua família foram repousar em um hotel de luxo.

O jornalista Luís Nassif indignado enfatiza “ Witzel é um genocida, que mais cedo ou mais tarde, será submetido a um tribunal internacional por crimes contra a humanidade. Mas, antes disso, precisa ser detido.”  É bom lembrar que Witzel, junto com candidatos do PSL, depredaram a placa em homenagem a vereadora Marielle, assassinada por milicianos. 

Esta escalada de violência do estado contra a população carente vem sendo estimulada por correntes fascistas e pelo próprio presidente da república Jair Bolsonaro, cujo símbolo principal da campanha presidencial 2018, foi a “arminha com a mão” para fingir ser uma metralhadora. O pacote anticrime apresentado pelo ministro da Justiça Sergio Moro, se constitui numa verdadeira aberração, onde concede na prática ao agente policial ou de segurança pública “a licença para matar”.

O presidente Bolsonaro, recentemente defendeu o “excludente de ilicitude” para proprietário rural, que pode matar quem ingressar em sua propriedade, sem ter nenhuma punição. Esta proposta além de estúpida e que atenta contra os mais elementares direitos humanos, é absolutamente inconstitucional na medida em que a Constituição Federal, garante que a vida humana não pode valer menos que o direito a propriedade.  Sem falar que boa parte dos “proprietários” de terra são grileiros. 

No Rio de Janeiro um trabalhador foi morto dentro de sua própria casa porque a policia confundiu uma máquina de furar com uma metralhadora, em setembro de 2018, um garçom portava um guarda chuva, a policia confundiu com uma metralhadora e o assassinou, agora recentemente em 2019, um músico recebeu 80 tiros sendo assassinado brutalmente além de um catador de material reciclável que tentou ajudar os ocupantes do carro e também foi alvejado. Isso só para citar alguns exemplos. Urge mais do que nunca a luta pela paz com justiça social e o combate a todas as propostas e ações fascistas.

*Álvaro Gomes é diretor do Sindicato dos Bancários da Bahia e presidente do IAPAZ