Artigo

Fortalecimento mútuo, sindicatos e trabalhadores

Postado dia: 11/07/2018 - 00:00

Ilana Pepe*

Desde o final do século 19, a classe trabalhadora passou a ter uma entidade que luta especialmente contra todas as injustiças às quais era submetida. Surgiu o primeiro sindicato dos trabalhadores, os representantes legítimos e porta-vozes dos que movem a economia de qualquer país.

Para os bancários, não é diferente. Desde que surgiu a primeira entidade, em São Paulo, as coisas tomaram outro rumo. Uma história de luta e contribuição que se confunde com a própria história do Brasil, conquistas que se estenderam e abriram precedentes para diversas outras categorias. As greves altamente organizadas, a luta contra a ditadura, unificação da categoria, resistência contra as privatizações na década de 90, ou seja, o movimento sindical tomou conta da energia do país.

No momento atual, não pode ser diferente. A união da classe no enfrentamento contra a retirada dos direitos conquistados ao longo de todas essas décadas tem de continuar. O patronato não esqueceu tudo que os sindicatos conquistaram e esperavam o momento político perfeito para novamente atacar os trabalhadores, penetrando nos textos que asseguravam direitos até que fossem diluídos a nada.

Dessa forma, fortalecer o sindicato, protagonizar as lutas, ter o prazer de fazer parte das conquistas da campanha salarial 2018, não permitir que a reforma trabalhista e todas as mazelas causadas por ela interfira na motivação por dias melhores. O trabalhador se apoia no sindicato, e o sindicato se apoia no trabalhador, para que, juntos, renovem o direito de trabalhar com todos os direitos garantidos. Nenhum direito a menos.

*Ilana Pepe é estagiária em jornalismo